Pesquisar este blog

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Uma regressão 'clássica'

Iniciamos com o encaminhamento ao ‘jardim’ de onde partiríamos para a investigação das vidas passadas, como ela tem mediunidade aflorada e atua regularmente não foi necessário induzir um estado de transe, bastou o desdobramento (separar o corpo astral do físico). Ela já chegou no jardim com a aparência de uma vida passada. Dali pedi que ela escolhesse um dos caminhos que saíam do jardim e o seguisse. O caminho escolhido por ela, logo que saiu do jardim, ficou escuro, mas foi clareando à medida que ela seguia por ele.

A vida passada - uma linda cigana que seduzia e roubava homens ricos

Vestia-se como uma cigana e a primeira coisa que divisou foi um grupo de cavaleiros que a perseguiam, ela correu para uma cabana, onde se refugiou. No inteirior estava um homem bravo com ela, era seu irmão mas tbm seu cafetão. Viviam de dar golpes, ela seduzindo homens ricos e eles os roubando.
Um desses homens lesados procurou uma feiticeira para ajudá-lo a encontrá-la e a tal mulher conseguiu localizá-la. Quando os cavaleiros chegaram à cabana o irmão a agrediu e cortou-lhe o rosto com uma adaga, tendo entregado ela aos homens que a perseguiam afirmando nada ter com ela, que era uma ladra.
Ela foi levada à presença da tal feiticeira, que deu-lhe algo para beber, um feitiço, um líquido esverdeado, afirmando que ela nunca mais iria ‘encantar’ os homens. Ela foi presa numa cela e morreu com o corpo cheio de feridas e com extrema inanição.

O desencarne - foi levada para um ‘bordel’ no astral inferior

Após o desencarne, já no plano astral, uma mulher a levou para um tipo de bordel, onde várias mulheres ‘trabalhavam’, vampirizando e seduzindo homens encarnados. Apesar da situação, ela sentiu-se aliviada neste local devido à tudo que passara enquanto encarnada. Era-lhes dito que precisavam disso para poderem viver e elas não suspeitavam que tbm ’serviam’ para outras finalidades. Ela foi colocada junto de um homem, a quem deveria ’seduzir. Na realidade ela fiocu obsidiando o tal homem o tempo todo, induzindo-lhe pensamentos ruins sobre a esposa e quando desdobrado, ela mantinha relações com ele. Este estado de coisas durou até o momento em que a esposa desse homem, devido ao abandono a que ficara submetida pelo esposo, suicidou-se. Na verdade ela era o verdadeiro alvo da obsessão. A suicida no astral chorava muito e a cigana ficou arrependida de ter provocado a morte dela, queria ajudá-la de alguma forma e tendo desobedecido sua ‘chefe’, que mandou ela levar a mulher para o prostíbulo, pegou-a pela mão e saíram sem rumo. Passaram por locais lamacentos e imundos, até pararem exaustas em uma pequena elevação no terreno.
Após algum tempo apareceram alguns espiritos socorristas e lhes ofereceram ajuda. A suicida ainda muito perturbada foi com eles mas a cigana disse-lhes que não iria pq não merecia ajuda, devido ao mal que fizera, tendo ficado ali sentada por um tempo indeterminado, até que por fim ‘desmaiou’ e vieram os socorristas e a levaram a um posto de socorro.

O resgate - saindo do umbral

Já no posto de socorro ela quando acordou estava muito desconfiada, achando que lhe exigiriam que fizesse ‘alguma coisa’ em troca por a terem tirado daquele local. Ficou muito tempo deitada e só lhe ministravam o que ela percebeu como sendo água. Após algum tempo já se via sentada na cama e quando se recuperou totalmente foi encaminhada a um local onde um homem explicava a um grupo de recém-socorridos como ela, onde estavam, o que lhes havia acontecido (que estavam ‘mortos’), etc. Ela via muitos chorando e disse ao tal homem que ela não merecia estar ali pq não havia apenas morrido, ela havia provocado a morte de outra pessoa (a suicida). Foi-lhe dito que se ela estava ali é pq tinha algum merecimento e que não pensasse mais nisso, apenas tivesse paciência.

O reencarne - uma nova chance de acertar

Ela ficou algum tempo ali ajudando naquele posto como podia, até que lhe informaram que ‘estava na vez dela’ e que ela iria reencarnar, sendo que a única orientação que recebeu foi a de ‘fazer diferente desta vez’. A seguir se sentiu muito pequena e passando por um tubo escuro, cujo final era o ventre de sua futura mãe. Avançamos para uns 3 ou 4 anos de idade onde ela ouvia as pessoas dizerem que ela era muito bonita e que iria ser uma mulher linda. Era grandinha pra idade. Dali pulamos para um fato marcante nessa vida aos 6 anos. Detalhe: Essa vida é a vida atual dela, ou seja, ela acessou a última encarnação antes dessa, o período entre-vidas e o nascimento nesta vida. Talvez o termo correto para esta fase seja o de ‘progressão de memória’ pq ao invés dela voltar da fase adulta para a infância ela partiu do ventre para a fase adulta.
Ela ouvia a mãe falar ao pai que se sentia preocupada com ela pois ela já chamava a anteção dos homens sexualmente. Interessante que o episódio desta vida que ocorreu com ela aos 6 anos ela nem sequer lembrava, e foi algo que marcou profundamente sua existência atual. Nessa idade um tio-avô dela tentou lhe molestar sexualmente e, apesar de não ter ‘consumado’ o ato, isto bastou para despertar no inconsciente dela como num flash tudo que ela havia feito de errado na vida passada utilizando seu corpo e o sexo.

A determinação - a atuação da mente inconsciente

Nesse momento ela teve o pensamento muito forte de que ela não queria ser como antes. Sua mente acessou inconscientemente todo o drama que ela viveu na vida passada e no período entre-vidas e ela ‘determinou’ a si mesma que não seria como antes. Aí junta-se todo um conjunto de conceitos que o espirito tem em seu reposítório de memórias e o que ele pode acessar devido à frequência em que se encontra e o tipo de karma que está resgatando. O resultado prático dessa determinação foi que logo em seguida ela começou a engordar. Fez tratamentos, emagrecia, mas voltava a engordar. O ‘fazer diferente’ na mente dela foi interpretado como não ser bela e atraente aos homens. É uma forma de proteção muito utilizada pelas mulheres que já abusaram da beleza e tbm por mulheres que sofreram abuso sexual. Um tipo de proteção pra não serem molestadas.

Resgatando o passado - ‘teus pecados te encontrarão’

Nada acontece aleatoriamente, então vamos situar a família atual da ‘cigana’ com os personagens de sua encarnação anterior.
O tio-avô que a molestou era o seu irmão cigano, que abusou dela e a ‘cafetinava’ na vida anterior. Nesta vida ela já morreu tbm. O invocamos para oferecer ajuda mas ele recusou, disse que tem outras mulheres que ‘trabalham’ pra ele e lhe trazem bastante energia. Mostrei-lhe o futuro e fiz algumas considerações mas ele não aceitou, então o deixamos ir e continuar com a ‘vida’ que escolheu.
O marido atual dela foi um dos homens que ela seduziu e enganou na vida anterior.
Os avós da vida atual eram o homem que ela obsidiou e a esposa deste que se suicidou.
A mãe dela dessa vida tbm era filha deles na vida anterior e ficou com muita raiva pela morte da mãe na outra existência.
Aquele conjunto de seres que viveu um drama na vida anterior novamente se encontra a fim de se reajustar carmicamente. A memória dos fatos certamente não trazem consigo mas as emoções certamente surgiram e eclodem ainda nos embates naturais do dia a dia. O resgate consiste em ‘fazer diferente’ dessa vez, substituindo o ódio, o rancor, a calúnia, a traição, etc., pelo amor, a compreensão, a fraternidade, a solidariedade, etc.

O tratamento - reprogramação mento-emocional

A ‘determinação’ dela em não repetir os erros do passado, ocasionou uma programação mental que gerou um efeito no seu corpo físico, como ela tinha um entendimento muito ‘material’, ou carnal, da vida, ser diferente de ser bela e atraente seria ser gorda, a fim de não excitar a cobiça nos homens.
Coloquei-a novamente no momento do assédio e ‘congelei’ a cena. Pedi então que ela conversasse consigo mesma sobre essa determinação, e que mostrasse a ela ‘criança’ que agora ela era adulta e tinha consciência de seus erros e que não iria fazer coisas erradas, que não precisava ser assim, alterando seu corpo, que ela podia ter uma vida normal e que iria se controlar, etc. Acessei a frequência da feiticeira para desfazer o feitiço que ela deu para a cigana beber e nesse momento ela se apresentou em desdobramento inconsciente, a feiticeira, atualmente encarnada como sua cunhada, afirmando que não iria permitir, dizendo que ela não merecia, que tinha feito mal a muita gente, etc. Desmanchei o feitiço e fiz a feiticeira desdobrada esquecer daquela existência e a mandei de volta ao seu corpo.

De volta ao começo - o jardim

Encerramos com essa vida e a mandei de volta ao jardim, pedindo que ela observasse se não havia alguém lá pra falar com ela. Quem estava lá era a avó (a suicida de outra vida), que disse-lhe que tudo está acontecendo para ela no tempo certo e que tivesse fé que daria tudo certo. Abraçou-a e se foi. Trouxe ela de volta e analisamos os fatos vivenciados, discutimos algumas coisas, ponderamos outras, para que ela entendesse bem o processo todo.

Considerações finais

As pessoas que possuem algum tipo de mediunidade geralmente tem mais facilidade para acessar suas vidas passadas, em decorrência inclusive do seu tipo de karma, mas já obtivemos esse mesmo grau de ‘vivenciação’ das vidas passadas em pessoas que não possuem a mediunidade aflorada. Nunca é igual para todos, cada um tem seu tempo. Algumas pessoas tem mais facilidade outras precisam de algumas sessões e de tratamentos a nívelo ‘inconsciente’, em desdobramento, para conseguirem. Se a pessoa quer realmente ela consegue. Acontece que em função do karma da pessoa ela pode ter que movimentar mais recursos para obter o que deseja, sejam mentais, emocionais e até mesmo financeiros, mas a todos é facultado esse ‘benefício’ pois a Lei é justa e não disporia de um recurso apenas para alguns privilegiados.

Abraços.

Nenhum comentário:

Postar um comentário