Pesquisar este blog

quinta-feira, 11 de março de 2010

Frequência ressonante - Acessando memórias alheias

A consulente quando iniciamos a regressão viu uma porta giratória, como essas de agências bancárias, girando muito rapidamente. Comandei que a porta parasse de girar e logo em seguida ela principiou a ver outra cena, de um assalto, onde uma mulher que andava por uma rua escura de uma grande cidade foi atacada por dois homens, que lhe bateram na cabeça com a coronha de um revólver e em seguida lhe roubaram a bolsa. Ela seguiu seu caminho depois de encontrar alguém, e os assaltantes continuaram com suas "atividades" até que a consulente visualizou uma luz de sirene e um dos ladrões passou a fugir. Na fuga, ele foi baleado nas costas e enquanto agonizava foi percebido três homens rindo daquela situação.

Novamente a consulente chegou na cena da porta giratória, que descobrimos ser a entrada de um grande prédio onde havia um laboratório com várias máquinas e homens com aventais brancos. Em determinada sala, sobre uma maca, havia um homem deitado, com uma perna metálica ou robótica. Auscultando os pensamentos daqueles seres que ali trabalhavam, descobrimos que se tratava de um laboratório de entidades trevosas, onde estavam desenvolvendo uma espécie de armadura metálica para ser utilizada em espíritos que estejam com suas formas degeneradas. A intenção deles era não ter que se preocupar em ficar 'tratando' desses seres, seus 'soldados', em função da degeneração que ocorria em seus corpos astrais em função da manipulação de energias deletérias, que eram endereçadas e pessoas vivendo ainda na dimensão física (obsessões, magias, etc.), e tbm amenizar o efeito de desgate provocado inevitavelmente pela atração gravitacional do planeta sobre matéria etérea de que é feito nosso corpo astral. Objetivo maior desse laboratório era justamente usar esses soldados para eliminiar pessoas que no nosso plano de alguma forma atrapalham os 'crimes astrais' ou que beneficiam de alguma forma projetos do bem ou ainda pessoas que conseguem seguir rumo a sua evolução quando esta não é desejável.
Apesar de ser imenso o prédio e a quantidade de seres ali ser muito grande, envolvemos o prédio inteiro em um campo de força vibracional de formato esférico e o deslocamos para junto da base que usamos para as regressões, nosso 'jardim'.
Algo interessante que ocorreu nesse atendimento é que as memórias que a consulente acessou não são dela. A moça que ela viu sendo assaltada não era ela, mas apenas uma pessoa que tbm sofreu algo que já ocorreu com a consulente diversas vezes nesta vida, isto é, ser assaltada. A 'espiritualidade' se utilizou de um fato que ocorreu na vida atual da consulente (assalto) para acessar uma frequência de vida passada de uma outra pessoa (a moça que ela viu), em função de serem fatos que vibram numa mesma frequência (ressonante). A intenção dessa 'manobra' era localizar e desativar o laboratório citado, o que foi feito. Uma vez no jardim já havia uma equipe numerosa esperando para socorrer os espíritos que eram cobaias ali dessas experiências macabras.
Abraço.

Gelson Celistre

Nenhum comentário:

Postar um comentário