Pesquisar este blog

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Trauma de infância

Iniciamos o atendimento como normalmente solicitando que a consulente mentalize o jardim. Normalmente depois da primeira regressão fica bem mais fácil da pessoa se conectar com o jardim pq já esteve lá antes.
Ao chegar lá a consulente via uma criança correndo pelo jardim, mas passava muito rápido por ela, quase como um vulto, e ela não conseguia identificar se era um menino ou menina. Providenciei então que a criança ficassse parada em frente à consulente e ela percebeu tratar-se de uma menina.
Pedi que conversasse com a menina para descobrirmos o que ela queria pois obviamente alguma razão haveria de ter. Já percebemos de que se tratava mas nada dissemos à consulente ainda. A menina disse à consulente que esta precisava ajudar sua mãe e pedi que ela perguntasse de que se tratava, sendo que a menina lhe respondeu que não iria lhe dizer mas que a levaria até sua mãe. Disse a consulente que seguisse a menina então e elas seguiram para fora do jardim, passando por uma floresta e um campo com uma relva baixa, divisando ao longe uma caban feita de pedras.
Ao chegarem no local, a consulente percebeu a mãe da menina deitada numa cama, imóvel, e então foi-lhe revelado o que se passou. A mãe da menina estava doente e veio a falecer naquela cama, mas a menina não entendeu isso, pensou que a mãe estava dormindo e disse a si mesmo que iria esperar ela acordar. A menina acabou morrendo tbm esperando a mãe acordar, o que nunca ocorreu.
Averiguamos se o espirito da mãe ainda se encontrava preso a esta cena mas não estava.
Pedi a consulente que conversasse com a menina e explicasse a ela que sua mãe havia ido para o céu e que por isso não acordou mais, mas que a amava muito. A consulente ficou muito emocionada pois percebeu que a menina era ela mesma em outra existência e que aquele drama tinha sido vivido por ela mesma. Invocamos o espírito que fora mãe dela naquela existência e promovemos o reencontro da menina com sua mãe. Elas se abraçaram e aquele 'corpo emocional' da consulente foi 'absorvido' por ela.
A consulente me confidenciou que aquele mesmo sentimento da menina ela carregava dentro de si a muitos anos, desde que sua mãe na vida atual faleceu, tendo ela já 26 anos de idade, fato que desconhecíamos. Mesmo sendo adulta e tendo entendimento racional de que o fato da mãe ter morrido não tinha a ver com ela não gostar dela ou de tê-la abandonado, ela carregava este sentimento de abandono e solidão.
O que aconteceu foi que na passagem de sua mãe nessa existência ela despertou uma lembrança no seu inconsciente daquela existência onde sentiu-se abandonada pela mãe. Imagine o que não se passou na cabeça da menina esperando a mãe (morta) acordar, até o momento em que ela mesmo veio a morrer naquela vida. Todo esse sentimento de angústia, desamparo, solidão, abandono, etc. foi despertado e suplantou os sentimentos atuais da consulente nesta vida.
Perguntei então se ela não gostaria de reencontrar sua mãe desta vida atual e ela aquiesceu. Pedi que se concentrasse na figura de sua mãe e então ela se viu num outro jardim, e la encontrou sua mãe.
Interessante que ao ver a mãe e conversar com ela, aquela menina se 'projetou' novamente (necessidade de amor materno) e a sua mãe a pegou no colo, sugerindo que ela deveria (a criança) ir com ela por uns tempos, no que concordamos. A consulente ainda ficou um tempo com sua mãe e depois retornou.
Efetuamos a análise da regressão, esclarecemos alguns pontos, e a consulente afirmou que sentiu um grande alívio com a retirada desse sentimento de dentro de si. Um sentimento que ela não sabia de onde vinha, mas que era muito forte nela há muitos anos.
É um caso 'típico' de um trauma de infância, de uma criança que se sentiu abandonada e sozinha, só que de uma existência anterior. Este tipo de 'trauma' não tem como se curar com remédios alopáticos ou com a abordagem psicológica vigente oficialmente. A consulente inclusive esta se tratando tbm com uma psicóloga e esta já havia lhe sugerido procurar algum outro profissional da área médica, afirmando que ela não tinha nenhum problema psicologico e insinuando que o 'problema' dela seria fisiológico, alguma disfunção hormonal, provavelmente em alguma região cerebral.
Nesse casos, se associado a um evento traumático de uma vida passada existe alguma consciência extra-física, a pessoa só se 'cura' se aquele ser for tratado tbm.
É interessante notar como se pode interagir consigo mesmo na dimensão astral quando há um deslocamento no espaço-tempo e a pessoa se vê com sua consciência dissociada.
Também existe a questão de se reencontrar parentes ou pessoas que amamos e que já faleceram. Como já dissemos anteriormente, se não houver nenhum impedimento de 'ordem maior', tendo o terapeuta conhecimento e energia suficiente para promover o encontro, logicamente auxiliado por seus tutores extra-físicos, nada impede que ocorram esses reencontros.
Abraços.

GELSON CELISTRE
(51) 9394-6023

Orientação Espiritual - Terapia de Vidas Passadas - Terapia de Regressão - Hipnose Clínica - Apometria - Mestre Reiki - Psicoterapia

"Triunfareis, se a caridade vos inspirar e vos sustentar a fé."

Nenhum comentário:

Postar um comentário