Pesquisar este blog

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Nada é por acaso

Estou tratando uma mulher, a cada 15 dias ela tem consulta, e hoje, segunda-feira, era o dia dela comparecer. À tarde ela informou que não poderia vir por estar num novo emprego e ainda não ter se acertado com os horários. Convidei outra mulher que tbm estou tratando, que é minha irmã, para fazer sua consulta hoje e assim fizemos.
Na primeira vida acessada ela era uma noviça, nos idos de 1800, e se viu numa pequena vila de camponeses onde ela visitava um velho enfermo. Eram cerca de 15 cabanas e havia uns 50 espíritos habitando o local, todos sem ter a menor noção de estarem 'mortos'. Levamos todos para o 'jardim', onde nossa equipe espiritual já os aguardava.
Na segunda vida estava numa cela, deitada numa cama de pedra, sentindo fortes dores pelo corpo e na cabeça. Era a época da Santa Inquisição e ela havia sido presa e torturada. Em sua mente se misturavam as lembranças de um equipamento que lhe 'espichava' o corpo todo e de outro que parecia uma roda de carreta, onde as pessoas eram amarradas e quando esta girava, parte da roda ficava submersa em água,  afogando a pessoa, e quando esta estava no outro extremo do giro, sua cabeça batia em um objeto.
Nós a tratamos enviando energia e abrimos a cela onde estava, assim como as demais que haviam naquele calabouço, onde uns 30 espiritos agonizavam. Levamos todos para o jardim, mas a consulente se viu novamente no pátio do castelo onde ficava essa prisão. Mais uma investigação e ela divisou um alçapão e, em seu interior, mais uns 20 espíritos, em piores condições que os primeiros, e tbm um ser que os estava 'vigiando'. Este ser tinha a aparência de um lagarto.
Como a consulente possui mediunidade, promovemos a incorporação deste ser e dialogamos com ele. A princípio muito revoltado, tendo a consulente que se esforçar para 'controlá-lo', o fizemos lembrar de uma encarnação onde nos conhecêramos. Esse espírito era um líder bárbaro, provavelmente um viking, e eu era seu amigo. O fizemos lembrar outra existência antes dessa e ele se viu como um homem simples, pai de família, pobre mas feliz. Solicitamos então à presença de famliares desse espírito e vieram a esposa e o filho daquela existência que ele lembrou. Quando eu disse que ele poderia ir com eles ficou mais calmo e aceitou ajuda, apos eu lhe garantir que seu 'chefe' não o encontraria nem faria mal à sua família.
Eu havia ligado o computador que fica no consultório para deixar uma música tocando durante a consulta, e vi que tinha recebido dois e-mails solicitando ajuda. Um era de uma mulher brasileira que está residindo no exterior e o outro de um amigo de outro estado relatando o caso de uma jovem evangélica que possui mediunidade e que já foi internada por vários meses por conta dos pais não acreditarem em espiritismo. Já fizeram um atendimento apométrico para a moça onde informaram que foi resgatado um bolsão de espiritos presos em uma masmorra. Tbm teria se manifestado uma entidade se dizendo protetor da moça, o que parece ter sido aceito pelo 'doutrinador', mas que possivelmente não era.
Nosso grupo de apometria está em recesso e só voltará a se reunir em janeiro, mas aproveitando a presença da consulente, que é médium, inclusive já tendo participado de nosso grupo, resolvi fazer estes atendimentos. Geralmente não estamos fazendo atendimentos à distância, somente em casos especiais, e me pareceu que estes seriam o caso, o que se mostrou mais do que acertado, como veremos a seguir.
A mulher que mora no exterior relata ter problemas para arrumar um companheiro, tem cerca de 30 anos, nunca teve filhos, embora tenha se casado uma vez e se divorciado, e se sente só e fracassada. Tbm afirma saber que tem mediunidade, segundo já lhe disseram em centros espíritas que frequentou, mas nunca 'encontrou resposta', segundo suas palavras. Atualmente frequenta uma religião de origem japonesa, onde afirma realizar um 'culto aos antepassados' que teria a finalidade de 'eliminar karmas familiares' que estejam 'influenciando' sua vida. Não vamos aqui entrar no mérito da tal religião, relatamos o fato de maneira genérica apenas para elucidar parte do que vem a seguir. Esta mulher tbm relata ter problemas para andar, as pernas e pés 'moles', que parecem 'fracas e sem vida', apesar de fazer exercícios de fortalecimento.
Havia uma entidade grudada em cada perna desta mulher, além de várias outras 'convivendo' com ela, o que obviamente era uma das causas de seus problemas de locomoção.
Desses vários outros seres que 'conviviam' com ela muitos estão se fazendo passar por seus 'antepassados', e utilizando esse seu 'culto' como maneira de a vampirizar ainda mais. Isolamos todos numa bolha para posterior encaminhamento, enquanto promovemos outra incorporação na nossa consulente que estava nos auxiliando nesses atendimentos de um ser que estava 'colado' à cabeça da mulher que estávamos atendendo. Segundo a médium ele parecia uma 'castanha' grudada na cabeça da mulher, aliás ele conversando comigo disse que era 'pequeno', embora não soubesse explicar como.
Este ser havia sido marido da mulher na vida anterior a essa e a matou quando a encontrou com um amante. Disse-nos ele que ela 'dormia com tudo quanto é homem' e que ele era um homem honesto e trabalhador, que nunca havia traído ela, e que por isso ela 'merecia' sofrer. Eles teriam vivido na Inglaterra no inicio do século passado, por volta de 1902. Disse inclusive que nessa vida atual ela já encontrou vários dos homens que foram seus amantes naquela vida e que inclusive se casou com um deles, mas que ele os fez se separar.  Este ser atuava muito na mente dessa mulher, com pensamentos negativos de toda espécie.
Fizemos ele lembrar de outras vidas com essa mulher, uma onde ele foi um pai rígido para ela, que fugiu de casa aos 17 anos com um namorado, outra vida onde eram ambos homens, vizinhos, e numa briga ele matou o outro (que era a mulher atendida) com uma foice, e uma vida ainda anterior onde ambos espíritos eram mulheres e nasceram gêmeas, vida onde se davam muito bem. Confuso com tantas informações e lembranças, aceitou ir conversar com um dos espíritos 'brilhantes', segundo ele, de nossa equipe espiritual.
Tendo recolhido os espíritos que estava perto dela, pedi a médium que sintonizasse com a tal mulher a fim de pesquisarmos algum bolsão de espíritos ligados a ela, que logo encontramos.
Esta mulher na época da Santa Inquisição (era homem) foi durante muitos anos Inquisidor, tendo sido responsável pela tortura e morte de muita gente, inclusive de nossa irmã, a 'consulente médium', que a estava ajudando neste momento, e nessa vida tbm eu estava presente, sendo um dos 'carrascos' que cortava a cabeça daqueles que não tinham mais 'serventia' na masmorra. Esse inquisidor era corrupto, não agia por ideal religioso, ele usava seu poder para beneficiar amigos financeiramente, se apropriando de terras e bens de pessoas que ele sabia inocentes, para enriquecimento ilítio seu e de seus 'amigos'. Havia mais um grupo de seres ligados a ela das 'masmorras' e todos foram resgatados. Ela provavelmente ainda vai sentir o problema nas pernas por ter estado assim há muito tempo mas com exercícios e fazendo a 'coisa certa', que é dar um jeito de trabalhar a mediunidade que recebeu para resgatar parte de seus pesados débitos, vai melhorar bastante.
Passamos então ao outro caso de mediunidade não trabalhada da moça evangélica que, para resumir o trabalho, era um dos torturadores subordinados à outra mulher (a que vive no exterior) nessa mesma existência. Como gostava muito do que fazia e como lidava mais diretamente com o 'povão', ao passo que a outra quase só 'mandava', a quantidade de seres ligados a ela era muito superior às anteriores, chegando a nossa consulente médium a achar que não caberiam todos no 'jardim'. Mas todos couberam e foram resgatados. Essa moça, como estava muito mal, foi levada tbm para tratamento no astral, em desdobramento.
Este atendimento, embora eu nem suspeitasse dos desdobramentos que ocorreriam, se iniciou no sábado, dois dias antes, quando comecei a sentir uma forte dor de cabeça, que se intensificou ainda mais quando assisti um filme que trata justamente da época da inquisição, O nome da rosa, um filme muito bom baseado num romance de Umberto Eco, uma reprise que vale a pena rever, mas que na hora senti que abriu uma frequência de passado minha, passei muito mal mesmo.
Vejam como nada é por acaso, uma consulente que cancela a consulta, e a outra que vai ser atendida resgata vários seres que sofreram com ela as agruras do Santo Ofício e, juntamente com um dos carrascos, ajuda tbm a resgatar centenas de outros seres ligados a duas pessoas que nem conhecem e que ne se conhecem, mas que no passado foram seus colegas e superiores, um torturador e outro inquisidor.
Pessoas que nunca se viram pessoalmente, uma residindo no exterior, e as outras em estados diferntes do país, ligadas por uma vida passada onde foram todos atores de uma dramática cena de terror onde, hoje, uma antiga 'vítima' auxilia seus algozes, inclusive com a ajuda de um deles.
Abraços.

Gelson Celistre.

3 comentários:

  1. No dia seguinte recebi um e-mail da consulente onde ela afirmava o seguinte:

    "Minha cabeca queimava, na altura da tempora direita." Dormi somente umas 2 horas e fiquei exausta hoje, porem, veja so: minhas pernas e pes estavam super leves ao acordar!"

    A queimação foi por conta da retirada do 'ovóide' que estava grudado à cabeça dela, e que era o ser que fora marido da consulente na vida passada, por volta de 1903 segundo ele próprio.
    Como em um século apenas não 'daria tempo' dele se degradar naturalmente a ponto de se ovoidizar, é provável que este ser tenha sido vítima de algum experimento trevoso e que alguém o grudou na consulente, provavelmente algum outro ser, com mais poder ou com acesso a mais recursos, possui interesse na consulente.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. "provavelmente algum outro ser, com mais poder ou com acesso a mais recursos, possui interesse na consulente." --> quem seria? eu sou essa pessoa que voce relatou, e a pressao no lado direito da cabeca persiste, inclusive meus cabelos ficam brancos desse lado! as vezes queima, arde, parece que tem um "balao" dentro da cabeca do lado direito, que incha, eh dificil explicar. As pernas continuam sem firmeza, parece que "flutuo" ou "me arrasto" com a perna esquerda.
    Entendo que toda acao cria uma reacao, nao busco um milagre, somente respostas, pois acho que "a verdade me libertara".

    Obrigada e parabens pelo blog e pelos trabalhos

    ResponderExcluir
  3. Oi,

    A verdade no seu caso, como já havia te dito, é que vc possui a meduinidade para resgatar seus débitos cármicos e enquanto não utilizar essa faculdade para essa finalidade não vai obter uma melhora significativa.
    Se mesmo tendo sido resgatado uma quantidade enorme de seres ligados a vc, suas vítimas do passado, a melhora nho seu estado foi pequena, significa que vc ainda tem muito o que resgatar e não há terapia ou tratamento que vá realizar o trabalho que compete a vc mesma.
    Procure utilizar a mediunidade para saldar seus débitos pois é a única forma de vc melhorar. Como bem salientou Kardec, fora da caridade não há salvação.
    Abraço.

    ResponderExcluir