Pesquisar este blog

quarta-feira, 7 de abril de 2010

O mago satânico

Estamos ligados a todas a consciências com as quais já tivemos algum tipo de relação, algunas ligações são mais fortes, outras mais fracas, e algumas podem se fazer sentir de forma a influenciar nossa vida atual. Nesta sessão a consulente acessou uma vida passada onde um outro ser que conviveu com ela, e que ainda se encontra na dimensão astral, estava execendo uma influência negativa e perniciosa em sua vida atual.
Naquela vida esse ser era um mago, um bruxo dedicado à magia negra. Para a sociedade da época, era um apenas um professor numa instituição ligada à Igreja, um internato ou orfanato, possivelmente tbm envergando as vestes sacerdotais.
O local dispunha de uma enorme biblioteca e o tal mago dispunha de um laboratório 'secreto' onde fazia experiências alquímicas. A consulente era apenas uma serviçal nesse local e justamente por transitar quase que sem ser notada e com relativa liberdade pelo local, acabou descobrindo as atividades 'extra-curriculares' do tal mago, que entre outras coisas, realizava rituais satânicos com sacrifícios humanos, onde as vítimas eram as crianças que viviam naquela instituição.
Entretanto, enquanto ela vivia o dilema de relatar ou não a alguém o que sabia, pois seria a palavra de uma serviçal contra a de um professor respeitado, o tal mago lhe tirou o ônus dessa escolha. Ela a drogou e a 'preparou' para o sacrifício. Quando deu por si, ela estava deitada num altar de pedra, num subterrêneo iluminado por algumas tochas apenas.
Ao seu redor conseguia ver vários homens com mantos escuros que lhes cobriam a cabeça e ocultavam suas faces. Apesar de estar consciente ela não conseguia se mover por efeito da droga. Oficiando o rito estava o mago, que com um punhal fez dois cortes no peito nu da consulente, formando uma cruz. Depois disso tbm cortou-lhe os pulsos e a garganta, tendo o sangue sido recolhido e sorvido pelos participantes.
Quando a consulente acessou suas memórias daquela existência, criamos um vórtice mento-emocional que 'puxou' a consciência daquele mago, que ainda está na dimensão astral (não reencarnou), fazendo-o tbm reviver aquele passado. Esse vórtice foi tão forte que provocou o desdobramento inconsciente de vários daqueles espíritos que participaram daquele ritual, pois vários já estão reencarnados.
Ao terminar de 'recordar' aquela sua vida fatídica, tínhamos então no 'campo áurico' da consulente, além do mago satânico, os seus comparsas, tando encarnados como desencarnados. Nestas situações o que fazemos é comandar o retorno dos encarnados desdobrados aos seus corpos e os desencarnados são 'levados' pela equipe espiritual que nos auxilia. No caso espífico do mago satânico, antes dele ser levado com os outros, por ser muito perigoso (ele no astral ainda estava em atividade e prejudicando muitas pessoas) efetuamos o 'apagamento' de sua mente, isto é, o fizemos esquecer quem era e tudo o que sabia, a fim de facilitar sua 'recuperação'.
A consulente se 'livrou' desse espírito que a atormentava pois parte da (in)consciência dela revivia a situação que sofrera onde ele era o mais forte e a subjugou. Estes seres costumam se aproveitar da própria memória inconsciente das suas vítimas para perpetuar seu domínio sobre elas, pois 'ativam' no inconsciente delas essas memórias.
Abraço.

Gelson Celistre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário